terça-feira, 25 de outubro de 2011

Quem eu era.

Eu era alguém mais solícita, menos reclamona, e super super risonha. Eu gostava de conversas longas e demoradas, sobre assuntos diferentes, coloridos, bonitos, profundos, musicais e musicados. Eu não irritava os meus amigos e os meus pais com tanta precisão. Eu tinha mais paixão por tudo. Pelo trabalho, pela faculdade. Eu até me apaixonava de verdade, e queria para sempre forever and ever nos segundos seguintes. Eu era menos impaciente, e mais leve, e gostava mais do meu armário, e ligava menos para as minhas olheiras. Eu não costumava ter tantos ciúmes da minha mãe, ou falar besteiras - de arrepender - pro meu pai.

Em algum momento a coisa mudou de lugar. Eu fiquei mais rasa, mas ao mesmo tempo menos colorida. Não foi um raso leve. Um raso de verão. Foi um raso que irrita os que eu amo, uma coisa meio fútil, sozinha. Acho que tem muito a ver com o blog. Mas coitado do blog, não é ele. Sou eu. É quem eu sou por ele, será?!

Sei que tenho tentado voltar a ser quem eu era. Algumas vezes eu não consigo dizer isso. Ou as pessoas a quem eu digo não conseguem entender. E o mais estranho disso tudo é que eu não sei como começa toda essa mudança. Eu não sei como voltar a mim, o que eu preciso fazer, como eu preciso agir, onde eu preciso mudar.

Amigos, amores, antigos amores, eternos amigos, por favor... Os comentários estão abertos, porque eu preciso mesmo de uma resposta. Dessa vez, é um pedido. É como se vocês pagassem um pequeno "pedágio" por lerem essas besteiras. Deixem letras, números, conselho, ofensas, feridas, sorrisos, ou o que mais desejarem. Deixem com nome, sem nome, com apelidos. Me façam pensar, ou me façam refletir. Mas, por favor, me digam: Onde está aquela Luisa? Quem era aquela Luisa? Alguém sabe como eu volto a ser aquela Luisa?

3 comentários:

Anônimo disse...

talvez você seja a mesma luisa, só que passou por mudanças.
talvez, seja até passageiro.
o céu fica azul, cinza, negro... nunca é o mesmo, mas é sempre céu.
espere e veja. como você mesmo escreveu, a luisa de antes era mais leve. então, seja leve: não se importe em voltar a ser como alguns dias atrás. não se importe com nada. vá sendo... vá indo... e quando for ver, estará sorrindo novamente :)

Pensador Psicoloko disse...

Já ouviu falar no ritornelo? Simplificando seria como o refrão de uma música que toca no início e toca no final, o "mesmo refrão", coloco entre aspas pois, como poderia ser o mesmo refrão se o efeito que ele causa é diferente? Isso sem considerar as possíveis alterações no próprio refrão. Quero dizer com isso que não é possivel voltar a ser o que era pois, sendo a vida uma grande música, ela não está mais na mesma parte. O refrão estará sempre presente pois, o universo é cíclico, veja as estações do ano, veja o nosso dia dia, ontem o sol nasceu e amanhã nascerá de novo,é o eterno retorno, diria Nietzsche, mas nunca o retorno do mesmo!

J. disse...

Felizmente ou infelizmente, não se é possível voltar a ser o que se era antes. A gente passa por mudanças, sejam elas boas ou ruins. Sejam por tristezas que nos fazem mais secos, mais sensíveis, mais tristes.. ou sejam por mudanças de rotina. por ego, por felicidade. não importa. O que importa é que não dá pra mudar, minha querida. Mas dá pra se tornar melhor do que se era antes. Você pode ser uma Luisa melhor do que é hoje, do que foi ontem. Mas isso vai muito de você. Não há como ninguém te ajudar. Isso parte de você. Então, esqueça as olheras, os amores, os velhos amores, as brigas, os ciumes, e até mesmo as preocupações em ser a antiga Luisa. Comece assim, que você conseguirá ser uma Luisa melhor. Mas nunca, a antiga Luisa. Boa sorte, querida. E lembre-se, seja sempre melhor pra você! Esqueça os outros, e esqueça o passado. O que importa é você, o seu encontro, e, acima de tudo, a sua felicidade. :)