sábado, 3 de outubro de 2009

Manhã de Sábado

Naquela manhã de sábado ela acordou com o telefone tocando. Ele ligou para dar bom dia e dizer que a lua estava mesmo linda na noite anterior. Puta que pariu! Era manhã de sábado - quem liga na manhã de sábado?
Ela já acordou de mau humor. Desligou o som, porque não ouvia o telefone. Desligou o telefone, porque queria continuar a ouvir o som. Não teve forças para ligar novamente o aparelho. Tentou dormir de novo. Não conseguiu.
O sol entrava pela fresta. No laranja da cortina o sol se desfazia em milhares de raios borbulhantes que dançavam ao ritmo da Janis Joplin que tocava ao longe.
Juntou todas as forças, olhou a hora no telefone. Não eram nem dez e meia. Dez e meia! Sábado! Ahh não! Ainda assim era melhor levantar. Iria rolar na cama até quando? O sono já tinha ido, na mesma velocidade que a falta de paciência vinha chegando.
Tomou seu remédio, jogou o edredon no chão, procurou os três travesseiros e o roupão, gritou - Flor, pode arrumar aqui se quiser. Já perdi o sono! - e levantou-se, num passo lento, caminhando até o banheiro.
Era linda a imagem que via no espelho. Seu corpo nu, o roupão jogado por cima, os cabelos emaranhados como um ninho de mafagafo, a maquiagem negra escorria pela face, as olheiras iam até as bochechas. E ela, sinceramente, se achava linda, como há muito não se via.
Lavou o rosto, escovou os dentes, penteou-se. Procurou uma roupa qualquer no closet, colocou só a parte de cima de um pijama colorido. Os pés estavam descalços...

Um comentário:

homemsemqualidades disse...

Luisa!
Que coisa boa saber que gostou do blogue!!! Espero mandar outros textos por esses dias...
Bom saber também que a senhorita é moça das palavras. e pq será que a gente nunca se soube? deve ser pq nunca fomos vizinhos....
pensei em acordar cedo e comentar seu texto de antes de sexta. mas vc já é texto de sábado. embaralhei tudo lendo sem pressa. satisfeito. o que eu diria? que vc é?...

quando tiver algo novo te aviso. Coloquei lá... um link pro seu blog.
bj